Castelo de Leiria

localiza-se na cidade, freguesia, concelho e distrito de Leiria, em Portugal.

Edificado em posição dominante a norte sobre a primitiva povoação e o rio liz, este belo e imponente castelo 

medieval, onde se contrastam as belezas do património edificado e as da paisagem natural, é um dos “ex-libris” da cidade, recebendo, anualmente, entre 50 e 70 mil turistas. No ano 2011 recebeu a vista de 54303 pessoas. Considerado o melhor exemplo de transformação residencial de um castelo no país, o monumento compreende outras atracções arquitectónicas, históricas e arqueológicas.

Sé de Leiria

A Sé de Leiria localiza-se no centro da cidade de Leiria no distrito de Leiria, em Portugal.

A igreja foi construída entre 1550 e 1574, sob o projecto do arquitecto Afonso Alvares. A cidade tinha sido elevada a diocese em 1545, a pedido de D. João III ao Papa Paulo III, e face ao facto das igrejas da Nª Srª da Pena e de São Pedro serem demasiado pequenas para a população, tornou-se necessária a construção de uma nova igreja adequada para a recente diocese. A primeira pedra fora lançada em 11 de Agosto de 1550.

A igreja ao longo do tempo sofreu sucessivas alterações devido à sucessão dos bispos da diocese.

Também foi parcialmente destruída no terramoto de 1755, pelo que de seguida sofreu algumas intervenções que levaram ao seu aspecto robusto actual. Na fachada frontal, da construção original apenas resta os 3 Frontais à entrada, dos quais o central é o maior.

A igreja foi ainda destruída durante as Invasões Francesas, pelo que em 1811 as tropas de Napoleão lhe atearam fogo que destruiu grande parte da ornamentação interior.

A sé Catedral é um dos grandes edifícios do Renascimento tardio do nosso país.

A igreja combina os estilos maneirista e barroco, pelo que a fachada tem uma aparência pesada e fria e o interior é simples e tem duas séries de grandes e robustos pilares e 3 naves decoradas com abóbadas, acentuando a sobriedade e harmonia da igreja, influenciado pela Contra- reforma.

Museu Mimo

O m|i|mo, nasceu em 1996, por ocasião da comemoração dos 100 Anos do Cinema em Portugal. O espólio reunido desde então, leva a que a constituição do Museu fosse autorizada na Reunião de Câmara de 22 de Janeiro 1997, tendo sido solicitado a concepção de um projecto de exposição que se adequasse ao espaço do Teatro José Lúcio da Silva. Simultaneamente foi-se procedendo à pesquisa e recolha sistemática de espólio para integrar a exposição permanente, dando particular ênfase ao Pré-Cinema.

O ante-projecto foi levado a Reunião de Câmara a 23 de Setembro de 1998 e desde essa data foram desenvolvidas várias iniciativas, nomeadamente a organização de exposições e produção de vários catálogos tendo como principal objectivo a divulgação do Museu, procurando sempre que possível o envolvimento da comunidade. Inicialmente denominado como Museu da Imagem, em 1999 sentiu-se necessidade de alterar o nome para Museu da Imagem em Movimento, uma vez que responde melhor aos conteúdos da exposição permanente.

Museu Papel

O Moinho do Papel situa-se na antiga Rua da Fábrica, actual Rua Roberto Ivens, na margem esquerda do Rio Lis, próximo do núcleo urbano da cidade, que data do séc. XIII.É um espaço museológico, ligado à aprendizagem de artes e ofícios tradicionais relacionados com o papel e o cereal e resulta de um projecto de recuperação e reabilitação levado a cabo por uma equipa multidisciplinar (desde o reconhecido Arquitecto Álvaro Siza Vieira aos técnicos do Município), com o objectivo de preservar a memória de artes e ofícios tradicionais inerentes a este património sócio-cultural, nomeadamente a moagem do cereal (milho, trigo e centeio), o fabrico do azeite e a produção do papel.

 

Galeria